67% dos entrevistados do painel QualiBest acreditam que Copa do Mundo não será tranquila

O Instituto QualiBest (www.institutoqualibest.com.br) acaba de divulgar os resultados da pesquisa “O Lado Negro da Copa”. O objetivo do estudo, realizado de 17 a 24 de abril deste ano, a partir de questionário enviado aos cadastrados no Painel QualiBest, foi analisar a opinião dos internautas brasileiros com relação a possíveis acontecimentos negativos durante a realização do mundial no país.

Em linhas gerais, homens e mulheres de todas as regiões do Brasil, representantes das classes ABC (Critério Brasil), se mostraram interessados na Copa do Mundo, mas não deixaram de lado os problemas que o evento representa – embora 38% acreditem que o even to será um sucesso.

Dentre os entrevistados, 63% têm interesse no mundial, contra 50% dos que acompanham futebol. O destaque fica por conta dos respondentes de classe C, que apresentaram um baixo índice de interesse na Copa do Mundo.

Sobre o que mais assusta os internautas com a realização do grande evento, segurança e criminalidade lideraram, com 32%, as respostas espontâneas. Já estimulados, diante de opções relacionadas à violência, as mais apontadas foram o aumento dos assaltos, furtos e assassinatos (74%), a liberação de bebidas alcoólicas nos estádios (71%) e a falta de preparo da polícia para lidar com multidões (71%).

As precauções com evento também pesam no momento de decidir onde ver os jogos, pois 37% dos entrevistados disseram que não têm intenção de acompanhar as partidas em praças ou outros locais públicos – contra 26% que têm intenção de fazê-lo.

Questionados sobre os espaços públicos oficiais, organizados para a tr ansmissão dos jogos, apenas 35% dos entrevistados conhecem o Fifa Fan Fest. Dentre estes, 30% não têm interesse em acompanhar jogos nesses locais.

Tanta cautela não existe sem motivo. Para 67% dos entrevistados pelo QualiBest, a Copa do Mundo não deixará legado; mas haverá ônus para o país e para o povo. O mesmo percentual acredita que o evento não será tranquilo como se espera e 63% concordam – totalmente (23%) ou em parte (40%) – que haverá confrontos entre polícia e manifestantes. Como consequência, 46% dos respondentes afirmaram que ficarão apreensivos ao sair de casa nos dias de jogos.

Além da segurança, a infraestrutura também não inspira confiança entre os entrevistados: 89% acreditam que haverá congestionamentos nos dias de jogos e 87% garantem que o transporte público não será suficiente para atender aos torcedores a caminho dos estádios.

Na vitória e na derrota?

Boa parte dos entrevistados (40%) não acredita que haja algum acordo para que o Brasil vença o mundial. Mas, seja qual for o resultado, a maioria (57%) afirma que a imagem do Brasil ficará péssima frente aos estrangeiros. Apesar disso, 53% acham que o patrocínio ao evento deve reforçar a proximidade das marcas junto ao público.

Já na hipótese de a seleção ser eliminada, 40% disseram que o mundo verá que sabemos perder. Porém, ao mesmo tempo, 38% dos internautas também concordam que a derrota poderá contribuir com o aumento de manifestações e atos de vandalismo.

Ainda neste cenário, segundo 50% dos participantes, uma possível derrota brasileira não influenciaria a eventual reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Fonte: Portal Segs